Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Pacote de Dados

Publicado: Quinta, 19 de Outubro de 2017, 00h34 | Última atualização em Quarta, 27 de Dezembro de 2017, 12h07
Notas sobre o pacote de dados e informações em meio digital

Esta seção contém informações sobre o conteúdo e formatos do pacote de dados e informações da Segunda Rodada de Licitações.

Este pacote de dados foi disponibilizado exclusivamente durante a Segunda Rodada.

Cada Pacote de Dados e Informações foi composto por 2 tipos de CDs e uma fita 8 mm. Um CD contém informações gerais e dados das pastas de poço (CD ROM #1), o outro CD contém os dados de curvas de perfis de poço (CD ROM #2), e a fita contém os dados sísmicos. Cada uma das categorias de dados é descrita a seguir. Há informações sobre como o dado foi recuperado, manuseado, formatado e finalmente gravado no formato atual.

O CD ROM #1 contém exclusivamente arquivos PDF. Com exceção das pastas de poço, todos os arquivos foram indexados. Desta forma, a utilização do Adobe Acrobat Reader permite uma rápida visualização do conteúdo geral do CD e uma prática navegação entre os diversos tópicos.

1. Informações gerais

A página Inicial do CD ROM #1 contém 5 seções:

  • Mapas / Maps
  • Informações sobre a Bacia / Basin Information
  • Blocos / Blocks
  • Notas sobre o pacote de dados (este texto)
  • Data Package Information

As duas últimas contém as explicações necessárias à melhor utilização do pacote de dados e informações.

A seção Mapas contém diversos mapas temáticos relativos à Segunda Rodada de Licitações e à infra-estrutura existente no Brasil. Estes mapas foram gravados com tamanhos originais para impressão com qualidade até tamanho A0.

A seção Informações sobre a Bacia pode ser acessada através da página Inicial ou através da navegação da seção Mapas. Esta seção inclui o Sumário Geológico, com informações sobre a localização e o sistema petrolífero da bacia e dos blocos. O sumário geológico está disponível em português e em inglês. Há ainda informações sobre a quantidade de sísmica e poços existente na bacia e disponibilizada no pacote de dados e informações, mapas gravimétrico e magnetométrico, carta estratigráfica, arcabouço estrutural e seções geológicas da bacia. As figuras incluídas no texto estão também disponíveis individualmente em tamanho e qualidade para impressão até tamanho A0.

A seção Blocos pode ser acessada a partir da página Inicial ou da navegação da seção Informações sobre a Bacia. Contém mapas de localização dos blocos, poços e sísmica disponibilizada. Contém ainda dados de poços, em dois formatos descritos mais adiante, no item Dados de Poço.

2. Dados sísmicos

Há dois conjuntos de dados sísmicos: Sísmica Regional e Sísmica dos blocos.

A Sísmica Regional foi disponibilizada apenas para as bacias no mar. É composta por um conjunto de linhas selecionadas, fora dos limites dos blocos. Tem o objetivo de permitir às companhias desenvolver uma visão mais abrangente sobre a geologia regional e a evolução da bacia.

A seleção dos dados sísmicos dentro dos limites dos blocos seguiu os seguintes critérios:

  • Foram incluídas somente linhas que se encontravam processadas e em formato digital;
  • Foram incluídos todos os levantamentos 3D no interior dos blocos;
  • Na ocorrência de linhas coincidentes ou muito próximas, foram selecionadas as de melhor qualidade, considerando-se a coberturas das linhas, seu conteúdo de freqüência e problemas de processamento;
  • Não foram incluídas linhas cujo comprimento no interior do bloco fosse inferior a 1 km. Estas remoções afetaram, de modo geral, apenas linhas cruzando o polígono dos blocos nas proximidades de seus limites.

No entanto, na maioria dos blocos, a totalidade dos dados processados e disponíveis em meio digital foi incluída no pacote de dados e informações.

Deve ser citado que a Petrobras relata rotineiramente a aquisição de dados sísmicos 3D em quilômetros lineares. São estes os valores informados sobre a cobertura sísmica de cada bacia e dos blocos, nos respectivos sumários geológicos. Entretanto, a ANP fornece adicionalmente uma estimativa da cobertura 3D em km² para cada bloco.

A ANP teve acesso a dados armazenados de duas maneiras. Uma parte dos dados, oriunda de estações Landmark, foi recuperada 8 bits, com intervalo de amplitudes entre -127 e 128. O restante foi recuperado em 16 bits, preservando um intervalo de amplitudes maior.

Os dados foram então carregados e editados em estações de trabalho com o software IESX, da Schlumberger.

O controle de qualidade consistiu na verificação da consistência do posicionamento dos refletores do fundo do mar ou da superfície do terreno, e de algumas estruturas selecionadas. Esta verificação foi realizada através da elaboração de diversas linhas compostas (traversas).

A edição dos dados limitou-se ao corte da extensão das linhas fora dos limites dos blocos. Este corte seguiu os seguintes critérios:

  • corte exatamente no limite dos blocos, nos casos em que a linha encontra-se dentro do prazo de confidencialidade (prazo definido pela portaria ANP 188/98) e dentro de um bloco em regime de concessão;
  • corte um 1 km além do limite do bloco, quando a extensão da linha encontra-se dentro de um bloco em regime de concessão, porém fora do prazo de confidencialidade (prazo definido pela portaria ANP 188/98);
  • corte 2 km além do limite do blocos nas demais situações.

Os dados foram exportados diretamente para fitas de 8 mm usando densidades normal (/dev/rmt/0bn) ou alta (/dev/rmt/0hbn) de acordo com a quantidade de dados sísmicos disponibilizados, em formato SEG-Y padrão:

  • PT byte 17 32 bits inteiro
  • CDP byte 21 32 bits inteiro
  • X byte 73 32 bits inteiro
  • Y byte 77 32 bits inteiro

A seqüência de gravação se inicia com as linhas dos levantamentos 3D, seguidas das linhas 2D regionais e por fim das linhas 2D de cada bloco.

3. Dados de poços

Há dois conjuntos de dados de poço: poços regionais e poços no interior dos blocos.

Poços regionais foram disponibilizados para as bacias no mar. Têm o objetivo principal de amarrar a sísmica regional disponibilizada, viabilizando uma interpretação mais abrangente. Excepcionalmente, em virtude da escassez de dados, foram escolhidos também poços regionais para a Bacia do Amazonas, mesmo não dispondo esta bacia de uma malha sísmica regional.

Dentro dos blocos foram disponibilizados dados de todos os poços exploratórios perfurados.

Há quatro tipos de dados de poço:

  • Arquivo Geral de Poços
  • Perfis Compostos
  • Pastas de Poço
  • Curvas de Perfis de Poço

Todos os tipos de dados foram disponibilizados para os poços no interior dos blocos. As pastas de poço, no entanto, não foram disponibilizadas para os poços regionais. As peculiaridades de cada tipo de dado de poço são descritas mais adiante.

Em geral, nenhuma das bases de dados existente é completa. O Arquivo Geral de Poços e as Pastas de Poço, porém, são complementares em muitos aspectos, e os dados ausentes em um podem muitas vezes ser encontrados no outro.

É importante destacar alguns aspectos relativos à nomenclatura dos poços. Atualmente, os nomes de poços são compostos de um número, seguido de uma sigla, um seqüencial, possivelmente uma letra, e outra sigla (ex: 1-XXX-7B-UF).

O primeiro número representa o tipo de poço, sendo que os poços exploratórios são numerados de 1 a 6. A sigla pode ser associada ao estado ou área de localização do poço. O sequencial respeita a ordem de aprovação de locações na mesma área ou estado. A última sigla representa o estado em que localiza-se o poço.

A letra entre o seqüencial e a última sigla representa situações especiais. Quando um poço é direcional, ao seqüencial é adicionado a letra D. Se o poço direcional é perfurado a partir de um poço piloto, adiciona-se DP. Entretanto, quando um poço precisa ser abandonado em virtude de problemas mecânicos ou outros quaisquer, e é reiniciado com um sidetrack, o novo poço mantém o nome do anterior, com a adição de uma letra A. Se houver a necessidade de outros em seqüência, o nome original recebe a adição das letras B, C, E, F, etc. A letra D é propositalmente não utilizada, devido à sua associação com os poços direcionais.

Desta forma os poços diferenciados apenas por estas letras são na realidade poços na mesma locação. Muitas vezes, então, mas não sempre, curvas de perfis ou relatórios são encontrados em apenas um destes poços. Daí que o número de perfis compostos, poços com curvas ou poços com pastas de poço, nem sempre coincidirá com o número de poços listado em um determinado bloco.

3.1. Arquivo Geral de Poços

O Arquivo Geral de Poços (AGP) é uma base de dados digital da Petrobras. Nele constam entre outras, geralmente, coordenadas, litoestratigrafia e cronoestratigrafia, cabeçalhos de perfis, tabelas tempo profundidade, resultados de testes de formação e as litologias interpretadas para cada profundidade amostrada no poço. A origem das informações é diversificada, e pode incluir as pastas de poço. O estado de atualização é bastante variado conforme a época ou a região.

Foi recuperado em formato ASCII, formatado para adequar-se a um formato de página padrão e convertido em PDF. O AGP está localizado dentro da seção Blocos do CD ROM #1, indexado por poço.

3.2. Perfis compostos

Os perfis compostos gerados incluem a litologia interpretada do poço, indícios de hidrocarbonetos e litoestratigrafia e cronoestratigrafia. Foi selecionado um conjunto de curvas em que constam Caliper, GR, DT, SP, RHOB, TTI e uma curva de resistividade, onde estas curvas existem na base de dados.

Os perfis foram gerados em escala 1:2000, e exportados em formato Post Script (PS). O processo de exportação foi realizado sempre para um tamanho A0, para garantir uma qualidade de visualização dos dados. Este é o maior formato suportado pelo aplicativo. Este ajuste ao tamanho A0 alterou a escala original, aumentando-a ou diminuindo-a. Os arquivos PS foram por fim convertidos para PDF e indexados pelo nome do poço.

Os perfis compostos estão localizados localizado dentro da seção Blocos do CD ROM #1 de cada bacia.

3.3. Pastas de Poço

As pastas de poço contém todos os relatórios feitos sobre um poço específico. Isto inclui a análise geológica das amostras de calha (realizada na locação) e relatórios de perfuração e de engenharia. Inclui também análises laboratoriais diversas realizadas em testemunhos e cascalho, amostragens de fluidos, testes de produção e relatórios diversos gerados durante ou após a perfuração do poço. Assim como outras bases de dados, estes arquivos nem sempre são completos.

A maior parte destes relatórios está disponível apenas em português, sendo muitos documentos manuscritos.

As pastas de poço encontram-se fora da estrutura indexada da página Inicial. Devem ser acessadas através do menu file, comando open, do Adobe Acrobat Reader. Estão localizadas no diretório :\ Well_Files. Este diretório contém um sub-diretório para cada bloco da bacia. Cada um destes possui um sub-diretório para cada poço, onde localizam-se os arquivos .PDF.

3.4. Curvas de Perfis

Os dados de curvas de perfis foram recuperados de uma base de dados da Petrobras chamada Dados Editados. Os dados armazenados nesta base de dados sofreram um processo de depuração, sendo eliminados canais sem dados (que muitas vezes vem nas fitas de campo) e intervalos dentro do revestimento para perfis de poço aberto.

O dado é idêntico ao dado original, sem ter sido processado. Perfis antigos foram digitalizados como recebidos em papel e hoje integram a base de dados.

Foram recuperadas todas as curvas de campo que compõem a base de dados. Estas curvas forma exportadas diretamente do sistema da Petrobras em formato LAS (ASCII), e cada arquivo tem uma largura máxima de 132 colunas.

O sistema não identifica a unidade do dado de cada curva. Para simplificar o carregamento das curvas principais, no entanto, as unidades de um grupo selecionado de curvas foi inserido.

As curvas foram combinadas (spliced). Quando um tipo de curva (GR por exemplo), oriundo da mesma ferramenta ou até de ferramentas diferentes, repete-se em um mesmo intervalo, foram geradas mais de uma curva. Uma amostragem dos arquivos foi carregado para verificar a conformidade dos arquivos com o formato LAS.

Os arquivos foram gravados no CD ROM #2. Há um diretório para os poços regionais e um diretório para cada bloco. Cada diretório contém todos os arquivos relativos aos seus blocos. Cada arquivo é batizado com o nome do bloco, seguido do nome do poço a que se refere. Letras que compõem o nome do poço, logo após o número sequencial (vide explicação sobre nomenclatura de poços no início deste tópico), fazem parte do nome dos arquivos em letras maiúsculas. Quando há mais de um arquivo para cada poço, é adicionada uma letra minúscula ao final do nome do arquivo, começando com "a".

Fim do conteúdo da página
>